Carregando...

Em 23 de maio de 2014, foi assinado o decreto 55.140 que restringe a atuação dos artistas de rua em São Paulo. O texto impõe uma série de limitações, como por exemplo impedir expressões artísticas a menos de cinco metros das saídas do metrô. Mas é na saída da Estação Brigadeiro que Paola costuma tocar. É um tipo de transgressão do bem. Dizem que os funcionários do metrô fazem vista grossa e deixam o pessoal tocar por no máximo meia hora. Paola Silva é contadora de histórias, se inspira na vida das pessoas para compor suas canções, e todo seu repertório tem uma forte influência da MPB. Em “Ninguém é Perfeito”, ela, com sua voz grave, exalta a busca pela autenticidade e a coragem de assumir-se, doa a quem doer. Ao lado do metrô, mesmo com a restrição de tempo, Paola se sente livre para tocar suas canções, e com elas tocar as pessoas. Ela toca na rua para plantar sua música no coração do público. Sem atravessadores, donos de bares, ou produtores. “Eu gostaria de ajudar as pessoas assim como a música me ajuda, quero que minha música seja como uma semente plantada”, idealiza.

Ficha técnica

NOME: Paola dos Santos Silva

NATURALIDADE: São Paulo

Músicas:

    1- Ninguém é Perfeito
    2- Canto de sereia
    3- Livro

Influências:

  • Lenine
  • Carlinhos Brown
  • Ana Carolina
  • Zélia Duncan

Mapa

Artista registrado nesse endereço:
Não representa sua atual posição.